Monday, June 25, 2007

Instante


Os moinhos
vagueiam sozinhos
entre os chorões nas dunas…

o sol mergulha
azul-brilhante
nas águas do mar;
marulha
ao longe indecisa
cinza de nuvens…

as crianças
brincam já
com o balde e a pá
e um pequeno regador;
um barco
de seu nome Maria Leonor
aquieta-se encostado
varado na areia…

9 comments:

Meg said...

Sorte a dessas dunas, que ainda têm chorões...
Moinho junto à água, não conhecia, nem imaginava, Renda!
Um abraço

minds said...

Perto da casa da minha mae, ha 3 moinhos .... adoro!!!

bjos

bell said...

Desde que vi um moinho recuperado numa revista de decoração que alimento o sonho de viver num. E esse, junto ao mar, era perfeito.

Carminda Pinho said...

Instantes assim há imensos é só abstermo-nos de vez em quando da nossa "vidinha" e, repararmos no belo que nos rodeia. Às vezes... basta tão pouco...

Papoila said...

Querida Renda:
Os moinhos da Apúlia! Fantásticas estas fotos.
Lindo poema... ouço aqui o vento a enfonar as velas...
Beijos

J.G. said...

E assim acontece o tempo, livre, sem se prender acalendários nem a sóis.
É ele quem manda...

zef said...

Quando as crianças brincam, não há nuvens cinza! E, crianças por perto, o moinho fica vaidoso.
Um abraço

Porca da Vila said...

Porque me pareceu não se tratar apenas de mais uma 'corrente', e porque considero ser o 'Que Conversa' um dos 'Blogs', que tenho o prazer de visitar, merecedor de ser considerado como uma das 'Sete Maravilhas da Blogoesfera', no âmbito da iniciativa do 'Sentido das Coisas', aqui deixo a notícia da nomeação que acabo de publicar no 'Braganzónia'.

Xi da Porca

bell said...

Deixei-te uma surpresa no meu blogue. Passa por lá para a levantares.