Thursday, June 21, 2007

Paisagem

Casas em ruínas

esventradas

escancaradas

dentro

crescem árvores.

7 comments:

Carminda Pinho said...

Renda, Portugal deve ser um dos Países onde existem mais paisagens iguais às do teu poema.
Quem visitar o Portugal profundo verá que não estou enganada.
Beijos

Papoila said...

Querida Renda!
Depois de passear por Inglaterra e ver casas de telhado de colmo com mais de 500 anos e ver casas novas a serem construídas com telhados de vigas de madeira... entristece-me essa paisagem de casas esventradas...
Lindo poema!
Beijos

Meg said...

Tantas, Renda... aqui tão perto, num Portugal nada profundo.
É já ali, e valem uma nota preta, que há quem as procure, e lá se vai a paisagem! É que as ruínas, são um negócio...
Um abraço

zef said...

Ouvi dizer que há árvores que ficam onde nos querem...

bell said...

Tudo se renova, mesmo nas ruínas é possível encontrar vida.

Kalinka said...

Lá pelo kalinka,
as viagens continuam,
os lugares vão desfilando,
como se uma passerelle fosse,
na memória dos meus sentidos.

Mais um lugar belo e histórico visitei. Desde Março deste ano que tenho aproveitado nas minhas mini-férias para visitar o nosso Portugal profundo e, ao mesmo tempo, algumas das 21 Maravilhas de Portugal. Em Março, no Algarve, estive na «Fortaleza de Sagres» e, em Maio no Alentejo, visitei as «Fortificações de Monsaraz», O «Templo Romano de Évora» e também o «Paço Ducal de Vila Viçosa».

Bom fim de semana.
Beijitos.

Madalena said...

0lá! Realmente este poema acompanha na perfeição as casas abandonadas de Portugal e de outros países.

Beijinhos