Thursday, June 14, 2007

Alerta

A ventania
instalou
toda a noite
uma euforia
diabólica
rondando telhados
e árvores,
arrastou
consigo a chuva
de nervos alterados,
escorreu
as tristezas
rua abaixo
imparável,
amanheceu
água...

11 comments:

soledade said...

Aqui veio pela madrugada, o vento e a chuva, numa ciranda como a do teu poema.
Beijinho

Osc@r Luiz said...

... e nesta água só restaram
as alegrias.

Que esse temporal do bem, passe também pelo Brasil!

É sempre um prazer revê-la minha amiga! Beijo!

J.G. said...

Eheheheh!... então foi como aqui!

amanhã volto com amis tempo, ok?

um abraço

fernandas.s.m. said...

Venho sempre por aqui, à tardinha com tempo para ler e gostar, mas não para comentar : mas sou como asestrelas - podem não se ver, mas estão sempre lá - e gosto, por isso volto.
Bjs.

mixtu said...

a água que leva tudo...
há dias assim, servem para limpar as tristezas

poesia...

abrazo

Meg said...

E chegou cá, Renda...
Dias de Inverno em meados de Junho.
Como isto tudo está a mudar!
Um abraço

zef said...

Também aqui "amanheceu água"; veio aos rebolões; e chata, de tal modo que "de nervos alterados" é-me belíssima hipálage.
Maneira alegre e bem dita esta, sobretudo a de escorrer as tristezas rua abaixo. Gosto disto.
Um abraço

Papoila said...

Querida Renda:
Há dois dias que a ventania e a água me saudam ao amanhecer.
Gosto muito dos teus apontamentos poéticos. Tu sabes...
Beijos

minds said...

A agua... tudo leva!!!

bom fim de semana

Kaotica said...

Querida Renda, espero que lave as almas e que deixe a atmosfera mais límpida e respirável. Temo que o nosso clima continental esteja a ficar demasiado parecido com bafo das ilhas. Continuo sem saber o que vestir de manhã.
Beijos

mixtu said...

vim buscar agua, a verdade é que antes no luso haviam mulheres que vendiam agua, mas agora ninguem vende nas estações agua, nem no apeadeiro do sabugueiro,

abrazo num trem,