Sunday, June 03, 2007

JARMELO




Hoje todos os caminhos ( da região!!! ) vão dar ao JARMELO - XXIV Feira-Concurso no Castro do Jarmelo…

A incansável energia e iniciativas várias ( entre elas , esta Feira anual) do meu caro colega Agostinho da Silva , Presidente da Junta de Freguesia de S. Pedro do Jarmelo continua a colocar no mapa da região ( e não só!) esta terra.

Faz parte com S. Miguel do Jarmelo da antiga vila de Jarmelo ( em 1855 perdeu este estatuto).
Como pólos de atracção turística, são de referir: - Casas rurais típicas e - Património histórico e cultural rico ( a Igreja Matriz, as Capelas, as Fontes romanas, a Casa da Câmara, o marco geodésico, as muralhas romanas, um cruzeiro, um miradouro, a arquitectura tradicional diversa espalhada pela freguesia, um campanário e algumas sepulturas antropomórficas).

Esta antiga Vila surge ligada aos amores de Pedro e Inês ( Pêro Coelho seria daqui natural) e « reza a história que, por causa dos amores e dissabores do infante D. Pedro com Inês de Castro, esta vila sofreu na pele toda uma atrocidade e brutalidade que ainda hoje, passados sete séculos, estão bem patentes e visíveis nas terras e almas dessa bendita/amaldiçoada serra (que não fique pedra sobre pedra...)» . Teria sido mandada salgar e arrasar por D. Pedro para que nela não crescesse mais nada.



A propósito desses amores, existe agora, junto a um edifício brasonado que terá sido sede municipal, um conjunto de esculturas em ferro, da autoria de Rui Miragaia, símbolo desses amores, baseado no quadro de Columbano “ Súplica de Inês de Inês de Castro”.



«É nos teus olhos que o mundo inteiro cabe,
Mesmo quando as suas voltas me levam para londe de ti;
E se outras voltas me fazem ver nos teus
Os meus olhos, não é porque o mundo parou, mas
Porque esse breve olhar nos fez imaginar que
Só nós é que o fazemos andar.”
Nuno Júdice

O Concurso não tem nada a ver com poemas nem histórias de amor romântico.
Destina-se a premiar os criadores de vacas jarmeleiras, jarmelistas ou jarmelenses , (vacas amarelas , de trabalho), de gado ovino e caprino.

10 comments:

Kaotica said...

Que interessante. Como essas tradições parecem hoje ganhar renovada importância. Vai-se a ver e tudo a pretexto da venda das vacas amarelas. A História de uma país numa transacção de vacas amarelas e euros. Quantas tradições por esse país fora e o povo lisboeta aqui tão ignorante disso tudo! Na capital o folclore é outro mas persistem vacas amarelas, euros e transacções. Isso está por todo o lado, menos na margem sul, onde só se encontram camelos e nada mais que deserto.

Ernesto Feliciano said...

Obrigado pela sua visita ao blog – São Martinho do Porto.
Que pelo que escreve, é uma terra que está no seu coração.
Visite-nos sempre, tanto ao blogue como a São Martinho.
Também gostei muito do seu blogue - vou adicioná-los aos meus favoritos.
Uma boa semana.

Anonymous said...

Muitagradecido Pela parte que nos toca, aos jarmelistas, claro ! tivemos milhares de pessoas, que com a sua presença em massa mais nos confirmaram que se trata de um acontecimento enraízasdo, sem que tenhamos que inventar outro pra cumprir esta função.
mais uma vez o nosso bem Haja!!!
coloquei como anónimo, mas pk sou algo ignorante nisto de introduzir mensagens!! Agostinho da silva (jarmelo)

mixtu said...

e assim se faz a cultura... e o pessoal de lisboa e outras pastagens nem sabe o que são esses "localismo"...
jarmelo, um dia, velhinho compro uma casa em jarmelo e vou criar gado... yayaya, podes entrar na sociedade...
abrazo europeo

Anonymous said...

H+a cá muitas casas sem almas, à espera de uma alma que as restaure!!
traz um amigo também!!
Agostinho (jarmelo)

J.G. said...

Agradável relato de mais um acontecimento que escapou, como tantos outros, aos noticiários das TVs. Sempre que lá não vai um ministro...

Um abraço

mixtu said...

casas sem alma? quando não estou a minha ganha almas...
abrazo e bom feria

jarmelo said...

no creo en brujas... pero que las hay, si que las hay!!!
agostinho

Anonymous said...

ainda, assim, temos tido muito apoio da Comunicação social, foi graças a algumas passagens nos media nacionais e regionais que acabámos por ter a visibilidade que ostentamos no momento.
Tivemos várias reportagens das feira de outros anos, e um dos anos (2005) tivemos no jornal nacional da TVI ceca de 20 minutos sobre a questão da vaca, com Vicor Bandarra.
No dia 29 Maio 2007, tivemos o portugal em direcyto da RTP, com Jorge Esteves.
Agostinho

Anonymous said...

e esta semana, tivemos a SIC a fazer uma reportagem sobre o Prseidente da Junta que adoptou uma vaca!!!!
vai passar no sábado à uma da tarde.zywrfmg