Wednesday, April 18, 2007

Noite

na terra repousada
a noite adormecia
à luz estremecida

trilava num canto
do escuro
uma cotovia.

4 comments:

Papoila said...

Olá rendadebilros Muito nos temos cruzado nos blogs do nosso amigo Jorge onde sempre me divertem as vossas conversas. Venho agradecer a visita ao campo e retribui-la. Também não me arrependi... O canto da cotovia é um canto que me encanta... pitoresco este poema.
Voltarei e muitas vezes nos vamos encontrar nos "soruns" de nosso comum amigo. Beijo

jpg - o sineiro said...

O que são os "soruns"?

Olha, boa noite cotovia!

(hoje deu-me para aqui, não liguem...é do tempo!)

um abraço.

zef said...

Já tinha visto esta cotovia, mas o tempo barulhento que tem andado por aqui não deixava ouvir. Oiço-a agora, que a tarde vai calma (para já), e o poeminha também é calmo e terno.
Fim de semana repousado.
(Soruns? - Que cousa é?)

zef said...

"Soruns"? - Ninguém explica o que é? Algum termo linguístico-tlebístico, dos tipificadores das frases/orações subordinadas substantivas completivas não finitas infinitivas?
"Soruns"?
Perdão e bom descanso.