Monday, October 15, 2007

Cheiro a tílias e a terra




Choveu.
Ao longo do horizonte, uma linha de luz.
E, descendo as escadas quotidianas, anda no ar o perfume das tílias
e o cheiro fresco da terra.


Singelamente, para todos, em especial, para a Carminda...

8 comments:

Carminda Pinho said...

Querida amiga,
muito obrigada mesmo!
Como de um pequeno e simples poema se pode imanar tanta ternura, tanta solidariedade.

Renda, o perfume das tílias misturado com o da terra molhada é mais intenso, mais oloroso e, permanecerá nos meus sentidos para sempre.

Beijos, muitos.

PS: só podias ter nascido naquela terra...:)))

soledade said...

Aí cheira a tílias no outono? Que bom, Renda! Aqui cheira ao vento suão, quente e insalubre. Nunca mais vem a chuva e o tempo fresco.
Beijinho

Andreia do Flautim said...

Por aqui ainda não choveu!

Papoila said...

Querida Renda:
Lindo! Chegou aqui o perfume da terra mãe molhada com um travo de tília... no campo espera-te um Sol sorridente depois da chuva... saberás porquê quando lá passares.
Beijos

Meg said...

Renda,
és tu com as tílias e eu com as acácias, de que já quse me tinha esquecido. Mas alguém me fez lembrá-las e... quantas saudades!
Beijinhos

Entre linhas... said...

O perfume das tílias torna-se místico nos dias outonais.
Bjs Zita

Belzebu said...

Quando era miúdo, havia uma árvore junto à minha janela do quarto, que me perfumava as manhãs de Outono. Era tília!

Aquele abraço infernal!

Carminda Pinho said...

Então amiga!!!
Por onde andas amiga bairradina? ah não!!!... eu não acredito... jazus maria... outra vez os papeis???
Ou é o cheiro das tílias que, te enebria de tal maneira que te faz andar bem lá "alto", nas nuvens e feliz?
Beijinhos amiga