Sunday, November 04, 2007

Quietude

sem sopro
de ar
as folhas
quietas
bocejam.
...
com fastio
de onde
em onde
uma folha
desprende
o ténue fio
e balança
muito devagar
sozinha
até tombar
no chão.
...
sem um sopro de ar
as folhas bocejam.
...

8 comments:

Papoila said...

Querida Renda!
Bonita imagem esta das folhas a bocejar neste Outono que vai tão ameno sem sopro de ar...
Beijos

Andreia do Flautim said...

Olá amiga!
Espero que tennhas tido um bom domingo!

Kaotica said...

Tamanho bocejo às vezes até dá a uma folha vontade de se desprender...

Abraço e boa semana

Se vem uma ventania ficam só as folhas mais firmes.

Carminda Pinho said...

Esta quietude mostra a tua melancolia, amiga.
Que venha uma rabanada de vento que a leve para longe.:)))

Beijinhos.

PS: o domingo foi melhorzinho sim.

Porca da Vila said...

Só por descuido as folhas vão caindo, tamanha tem sido a calma deste Outono...

Um Xi Grande

T.A. said...

Parece que se ouvem as folhas a cair. Gostei muito.

Carminda Pinho said...

Pois é amiga,
o sonho...por ele é que vamos...por ele é que vivemos...por ele é que amamos ás vezes. Foi pelo sonho que há 2 anos acreditei que poderia acontecer e... esteve quase... mas aconteceu o impossível ao menos isso.
Sou um "nadinha" utópica sou e, depois? À vezes é o que me alimenta a alma, a minha utopia.
Gostei de estar praqui a falar contigo, eu sei que me compreendes.:)

Papéis, papéis e mais papéis...raio dos papéis que não deixam a minha amiga sosegada. Ahahah!!!

Beijinhos

mixtu said...

o vento
a folha
raíz

palavras
escritas
sentidas

poesia...

abrazo europeo