Monday, November 19, 2007

Nevoeiro

A noite pairou o dia inteiro
abrigada e gelada no nevoeiro
nem uma árvore à medida do olhar
nem uma pedra da Catedral.

O dia frio fechou as janelas
não se via nada através delas
nem gentes nem pássaros nem casas
só as folhas no chão muito caladas.

8 comments:

Carminda Pinho said...

Mas que grande nevoeiro vai para aí!
Mais um lindo e simples poema com que nos brindas, amiga.
Obrigada.
Beijinhos.

Porca da Vila said...

Esta noite nevou! Do sítio onde estou vejo a Sanabria coberta de neve, e vejo também Montesinho algo esbranquiçado. O Outono acabou mesmo...

Um Xi Grande

TINTA PERMANENTE said...

O cenário perfeito de um qualquer sebastianismo!...
(com a bruma nos olhos... gostei!)

abraço.

Belisa said...

Lindo poema que me faz imaginar um quadro, muito belo!

Beijinhos estrelados

Andreia do Flautim said...

Ontem à noite havia tanto nevoeiro quando vinha para casa!

zef said...

Está bonita esta "quieta melancolia" e a maneira de a dizer.
Um abraço

minds said...

Bonito! O inverno demourou... mas xegou! :)

bjs

Carminda Pinho said...

Não desapareceste, tipo D.Sebastião, não? :)))
Beijos