Friday, July 11, 2008

Ideias dispersas

Nas ruas estreitas
As palavras caem das janelas à rua!
Muitas partem-se em cacos.
Outras, ficam no parapeito
poisadas
de peito feito
a ver quem passa!
Outras ainda
leva-as o vento
com o pensamento!...
E há aquelas
perdidas de loucas
que soam desfeitas
de boca em boca;
ou então, na tarde calma,
de tão perfeitas
chegam à tua alma,
enrolam-se em ti
e ficam até de madrugada!...


( Com a colaboração um tudo-nada involuntária, mas querida, da Carminda, Bell e Papoila!!!)

5 comments:

bell said...

Que honra ter servido de musa! Ficou mais rico de significados o poema, integraste maravilhosamente as nossas contribuições involuntárias.

Carminda Pinho said...

Olha que lindo que ficou...
Recolheste as palavras, com carinho, juntas-te às tuas,
e ficou um lindo poema.
Olha que tu às vezes, és muito inteligente...Ahahahah!!!
Beijos e passa um bom domingo.

Andreia do Flautim said...

Boa semana!

Papoila said...

Querida Renda:
Que surpresa!
Juntaste as palavras dispersas e que belo ficou o poema!
Beijos

Carminda Pinho said...

Renda
quando é que vais colocar as ideias em ordem, amiga?
Deve estar quase, não?

Beijos