Monday, January 08, 2007

vidas que partem


Um gato
espalmado
na estrada
sob o sol
atormentado
notícias
malfadadas
pingas
esparsas
de nuvens
passageiras
encasteladas


arquivos
remexidos
passos
perdidos
em eras
passadas
folhas
carcomidas
e as horas
seguidas
contam
indiferentes
as vidas
das gentes

3 comments:

Professorinha said...

É triste ver as coisas, pessoas e animais partir sem podermos ter a esperança de as ter de volta...

Beijos

Jorge P.G. said...

Gostei das palavras e da ideia, mas a referência ao gato...é demasiado realista e cruel para mim.

Um bjnh.

Jorge

Kaotica said...

Gostei! Tem que ter gato. O tempo é mesmo muito cruel.
Abraço grande!