Thursday, January 11, 2007

Nuvens


Arejou o tempo. O horizonte expande-se ao longe para além das fronteiras convencionadas dos homens, sob uma neblina ligeira e nuvens acumuladas em ondas cinza e brancas. Raia o azul do céu, entre o algodão fofo corredio. Telhados alheados, expostos ao sol, brilham cor de laranja escuro. Uma pedra subiu do recreio e estilhaçou o vidro de um carro parado na rua... Um pardal assustado esvoaçou, espavorido, num alarido de asas pequenitas.

4 comments:

Jorge P.G. said...

Muito bonito. Gostei mesmo!

A interrupção da quietude por um quebrar de vidros e um esvoaçar de aves...é terreno, é poético...

um bjnh.

avelana said...

porquê "renda de bilros"?

não é dessa zona...

soledade said...

A descrição, a foto, imagens de alegria e liberdade, um olhar claro sobre o quotidiano. Tão lindo!

rendadebilros said...

Soledade
Obrigada!
Há dois dias que tento entrar no teu blogue e não consigo, aparece-me uma página com indicação de protecção de dados ou entro nas páginas de verão ( que , diga-se de passagem, com poemas que vale a pena reler!!!)... Não sei que se passa.