Tuesday, March 04, 2008

Hoje é o dia dos teus anos, mana do meio


Quando pensamos naquele dia - um dia como hoje há x anos! - o pai e eu pensamos numa moreninha... acabadinha de nascer, entre as dobras do lençol branco... como não tive muito tempo, recupero o post já republicado no ano passado... por falta de tempo ... e recupero a foto...


Hoje é o dia em que, todos os anos, mesmo depois de tanto ( ou tão pouco?) tempo, recordo sempre com uma ternura intensa aquele rosto moreninho entre lençóis brancos e, como num clique, vêm à memória imagens e momentos de uma vida!!! … uma praia imensa, só para nós, de Verão e de Inverno, numa baía em forma de concha que vim, mais tarde, encontrar, com espanto, nos livros de Geografia… um livro pequenino, fininho, maneirinho que ainda hoje possuímos que falava da vida do José do Egipto e de sonhos, muitos sonhos misteriosos, .. as fugas para ver a Amália cantar o fado numa televisão, a preto e branco, outro objecto encantado na época, que até se via perfeitamente uma mosca passear no xaile da fadista, …a mudança da praia para a terra, no interior junto ao Douro, gelada, no Inverno de neves abundantes e com um pão de sabor estranho, e de laranjas doces no Verão ardente , … as cambalhotas no ferro do portão da D. Emilinha, …o nascimento da mana mais nova, outro mistério cheio de silêncios e deslumbramentos, … e outra mudança e novas vivências … tantas mudanças e lembranças e vivências diferentes que devíamos ter ficado traumatizadinhas de todo, à luz das psicologias actuais, e nada , cá andamos inteiras por estas andanças da vida… até sobrevivemos aos exames ( alguns até repetidos pela morenita, devido à esperteza de jovens “ inteligentes” de esperteza saloia , por casualidade da terra onde agora vivo, que roubaram e venderam uns tantos exames) e – concluo, por hoje, estes “ recuerdos” com esta nota pitoresca que o dia tem tido o céu bastante cinzento e de “cinzentura” chega - … recordando aquela noite de piquenique de suspiros grandes lindos e dulcíssimos em que nos embebedámos de risadas abafadas e de chá sem açúcar …Ah! Também ninguém acredita – como a memória é curta e o tempo passa depressa ou vice-versa!!! – que este dia foi já feriado nacional para comemorar a data de nascimento do Infante D. Henrique , o da Ínclita Geração …






7 comments:

Carminda Pinho said...

Renda!
Depois de ler o teu post vieram-me à memória tantos episódios passadoa com as minhas manas...que estou aqui a rir-me para o ecrán...até pareço tolinha, eheh!
Dá por mim os Parabéns e um beijinho, à tua mana do meio e, diz-lhe por favor que, eu gosto muito da mana dela, aquela... que está na fotografia com o laçarote branco.:)

Beijinhos

Andreia do Flautim said...

Muitos parabéns para ela!

bell said...

Parabéns à mana do meio! Parabéns às duas que tão lindas estão na foto e parabéns às três pelas bonitas recordações que construíram. Finalmente, parabéns a ti pela poesia das memórias que nos ofereceste.


(Nunca trabalhámos tanto para "produzir" tão pouco, apesar do tempo despendido na escola ou por causa dela ter aumentado.)

Papoila said...

Querida Renda!
Muitos parabéns à tua mana! Adorei este teu texto de recordações doces e travessuras... e os suspiros... ai os suspiros... há quanto tempo não como uns suspiros com chá sem açúcar regados de risadas!
Beijos

zef said...

Parabéns, "mana do meio" da menina do laçarote.

Sophiamar said...

Afogadita em papéis e um pouco atrasada, deixo os parabéns à mana do meio, a moreninha que destoava do lençol branco dando-lhe, contudo, mais realce.
Para ti, Rendinha, deixo mil beijinhosssss

Anonymous said...

Tão giras que estão!

Gata