Tuesday, December 18, 2007

Não Professor do Ano

Faço projectos, planos, planificações;
Sou membro de assembleias, conselhos, reuniões;
Escrevo actas, relatórios e relações;
Faço inventários, requerimentos e requisições;
Escrevo actas, faço contactos e comunicações;
Consulto ordens de serviço, circulares, normativos e legislações;
Preencho impressos, grelhas, fichas e observações;
Faço regimentos, regulamentos, projectos, planos, planificações;
Faço cópias de tudo, dossiers, arquivos e encadernações;
Participo em actividades, eventos, festividades e acções;
Faço balanços, balancetes e tiro conclusões;
Apresento, relato, critico e envolvo-me em auto-avaliações;
Defino estratégias, critérios, objectivos e consecuções;
Leio, corrijo, aprovo, releio múltiplas redacções;
Informo-me, investigo, estudo, frequento formações;
Redijo ordens, participações e autorizações;
Lavro actas, escrevo, participo em reuniões;
E mais actas, planos, projectos e avaliações;
E reuniões e reuniões e mais reuniões!...

E depois ouço,
alunos, pais, coordenadores, directores, inspectores,
observadores, secretários de estado, a ministra
e, como se não bastasse, outros professores,
e a ministra!...

Elaboro, verifico, analiso, avalio, aprovo;
Assino, rubrico, sumario, sintetizo, informo;
Averiguo, estudo, consulto, concluo,
Coisas curriculares, disciplinares, departamentais,
Educativas, pedagógicas, comportamentais,
De comunidade, de grupo, de turma, individuais,
Particulares, sigilosas, públicas, gerais,
Internas, externas, locais, nacionais,
Anuais, mensais, semanais, diárias e ainda querem mais?
- Que eu dê aulas!?...

Do blogue A SINISTRA MINISTRA ( http://sinistraministra.blogspot.com/) da autoria de Pata Negra ( (http://reidosleittoes.blogspot.com/)
Com a devida vénia e autorização.

3 comments:

Andreia do Flautim said...

Vida de professor é dura!

Moriae said...

É um excelente retrato este ...
A vida de professor está abandonada nas ruas da amargura ...
'See you', Renda de Bilros :)

zef said...

Olá, Renda. Boa noite.
Chego de um jantarinho com professores da última escola em que trabalhei. Dizia-se mal da sinistra e dos sinistros também. Mas também se dizia que, apesar de tudo, a vontade de trabalhar se mantém: são os alunos que o pedem e ainda a intervenção cívica a exigi-lo. E assim me parece que está bem.
Abraço e boa npoite