Wednesday, January 28, 2009

Um Dia



a máquina de lavar roupa a girar a girar
a fila nos correios impaciente
o jornal com notícias de bancos e desemprego
enuncia-se o degredo
o café
o tempo cinza depressivo e lento
a pomba a esgaravatar entre as areias da rua
um bocado tonta esta pomba sem migalhas
estendidas no pavimento cinzento
cinzento o céu a nuvem a casa o chão
azul a mensagem
todos os dias a pensar em ti
a janela a espera a lareira
o fogo imprevisível de forma e cor
o calor a palavra-passe que não é
a máquina arrasa o mato a guinchar
há uns dias que não vejo a pega a palrar
fugiu do estrídulo impossível
a comissão interna que se auto-avalia
do poder predomina a escumalha
a música
allez venez dansez avec moi
a árvore crua na sua nudez
allez venez et entrez dans la danse...

4 comments:

Andreia do Flautim said...

Olha neve!=)

agrj said...

Lindo!!

Visitem meu blog: http://agrj.wordpress.com e se gostarem divulguem ou incluam em sua lista de links!!

[]s

Dinho

Papoila said...

Querida Renda:
Adoro os teus poemas do quotidiano!
Um dia cinzento que se ilumina de azul com uma mensagem azul, enquanto as pombas tontas debicam no passeio... Lindo!
"allez venez et entrez dans la danse..."
Be

Carminda Pinho said...

Um dia na vida de uma mulher de fibra.
Allons-y dansons...:)

Beijos