Tuesday, July 21, 2009

A lua

a lua tem sabor a noites de verão em céu estrelado estendíamos a mão e tocávamos com os dedos
na luz e nas crateras

ou ficava inatingível e descíamos das estrelas para a escuridão com muitos pontos brilhantes e o estio era um país único e tinha noites quentes e avós

5 comments:

Rique Loneliness said...

Duas estrofes pequenas e toda a intensidade de uma poesia que faz sentido. Gostei.

Carminda Pinho said...

Belos tempos esses, em que tinhamos avós, e noites quentes, e lua, e estrelas, e uma imaginação fértil...

Gostei muito!

Beijos, Renda.

fernanda s.m. said...

Esses verões em que tanto olhávamos para o céu e em que era uma aventura dormir com primas e amigas "à la belle étoile" porque o tempo era certo, esses verões que cheiravam a terra , flores e frutos... Era tão bom, não era Renda ? que marcas de verão de noites estreladas deixaremos nós a nossos netos ? para já, deito-me com eles no chão olhando para as nuvens que o vento empurra, para vermos o que nos lembram..., mas as garotas cansam-se rápido...
Gostei de ler ..
beijinhos.

gaivota said...

pois era assimmmmmmmmmmm
agora ninguém entende nada... hoje mar de bandeira verde, amanhã é a bandeira vermelha que manda!
nem noites nem dias, já nada é como dantes!
beijinhos

zef said...

Boa tarde, Renda.
Acho delícia aquele seu pretérito imperfeito, dito por seis vezes, forma "faz de conta" dos sonhos e jogos de nós crianças!
Assim a leio.
:)
Um abraço