Monday, May 11, 2009

Chuva


acompanhou-me a chuva sem surpresa

duas asas negras de estorninhos
num voo apressado
e solitário

nenhum outro pássaro
a voz encharcada
esconderam-se no arvoredo

molhadas as pontas do cabelo
a chuva na cara


perto, os carros mastigavam o chão.

6 comments:

bell said...

Pois, a chuva a mim apanhou-me de surpresa.

Gostei da imagem: "os carros mastigavam o chão" :)

(Voltei, mas sem grande alento. Este ano esgotou-me. Fiz inúmeras actividades e pouco reconhecimento tive do meu trabalho. Isso desgasta. Enfim, vida de professora...)

Carminda Pinho said...

Hoje não choveu por aqui...

Bjs

Brown Eyes said...

Bonitas as tuas palavras...

BE

ลndreia said...

A chuva acompanha-nos sempre. De quando em vez é que é demasiado miudinha para darmos por ela... *

bell said...

(Só um Óptimo?! Um muito Bom Excelente! eheh É uma tristeza isto, é só para avaliador ver.

Aires Montenegro said...

Nem parece de quem vive num andar! Eu compreendo: vive no mundo, e um andar pode ser um mundo... belas palavras.